Angélica Pereira, pesquisadora associada da ANCP, falou sobre qualidade de carne no Workshop Concept Plus
Quinta, 11 de jul de 2019


No dia 1º de julho, a Associação Nacional de Criadores e Pesquisadores (ANCP), participou do Workshop Concept Plus, promovido pela Alta Genetics, em Uberaba (MG).
Angélica Pereira, pesquisadora associada da ANCP, que também é Professora do Departamento de Nutrição e Produção Animal da USP, apresentou palestra com o tema “Qualidade de carne – Genética x ambiente”.

Angélica explicou que, para que as indústrias de carne produzam consistentemente carne de alta qualidade, deve-se ter um entendimento sobre os fatores que determinam a qualidade da carne, bem como a contribuição da genética. Sabe-se que o genótipo e o ambiente (nutrição, manejo e condição sexual) podem interagir e influenciar atributos de qualidade da carcaça e carne.

“Essas características de carcaça e carne apresentam moderada a alta herdabilidade, e as magnitudes de DEPS para estas características, como área de olho de lombo (AOL), espessura de gordura subcutânea (EGS), marmorização (MAR) e maciez (FC – força de cisalhamento) são muito amplas”, ressaltou.

Segundo a pesquisadora, as correlações genéticas para características entre reprodução e carcaça (como STAY e AOL, ou 3P com EGS) são favoráveis. Portanto, ao realizar a seleção para puberdade, pode-se inferir em seleção para gordura, por exemplo. Outra característica de interesse nos programas de seleção é o consumo residual alimentar (CAR). Segundo pesquisas, esta seleção não influencia outras características e possui um componente genético importante.

A nutrição e o manejo também são importantes e interferem diretamente na qualidade da carcaça e carne. Os resultados de estudos envolvendo restrição alimentar na literatura ainda são adversos. Portanto, mais investigações são necessárias a fim de explicar como as mudanças de componentes específicos da dieta materna podem afetar o desenvolvimento fetal bovino; especificamente, miogênese e fibrogênese no músculo esquelético.

“A seleção do touro, assim como a avaliação das matrizes, a condição nutricional dos animais, o manejo e a condição sexual são fatores determinantes para melhor padronização de carcaças, remuneração do produtor, produção de carne de qualidade e, consequentemente, maior fidelização do consumidor”, concluiu Angélica.